Queijada de iogurte e mel

Pois é, meus amigos: ao contrário do que se possa pensar, o meu silêncio recente não se deve (ainda) à minha total incapacidade de manter compromissos, mas sim, de certa forma, ao oposto: esta última semana foi passada na belíssima cidade de Amesterdão, viagem com que presenteei o meu pai no seu aniversário deste ano — e que, sendo ele Peixes, já estava, como devem calcular, planeada há uns bons meses. Foram poucos dias, mas bons, e passados na melhor companhia (embora o património genético me torne suspeita nesta opinião).

Stroopwafel artesanal do Nieuwmarkt, ou O Motivo pelo Qual Teria Sempre Valido a Pena Ir a Amesterdão, ou, Francamente Falando, Fosse Aonde Fosse.

E, assim, já morta de saudades, dedico esta receita de regresso de férias precisamente a esse senhor que tanto amo e admiro, e que, ao final de duas semanas de convivência, me custa tanto, tanto deixar ir para longe de novo. Mas adiante, que a vida tem destas coisas, e não é tarde nem é cedo para evitar uma crise de choro!: esta espécie de queijada aldrabada, apenas por mim assim intitulada (a receita de onde a adaptei chama-lhe “bolo”), é um dos doces preferidos do meu Pai (“P” maiúsculo mais do que propositado!), que já tem fama de se babar por estas texturas — mas também fez as delícias dos meus colegas menos parciais quando, há umas semanas, a levei para a comemoração de um aniversário no trabalho. Além disso, e não menos importante: é relativamente pouco calórica, e ridiculamente fácil de fazer! A sério: os 5-10 minutos não são um exagero.

FICHA TÉCNICA

  • Tempo: 5-10 min (preparação) + 30 min (forno).
  • Dificuldade: Muito baixa.
  • Porções: 8 doses.
  • Calorias (total): 680 kcal (sem mel).
  • Calorias (1 dose): 85 kcal (sem mel).

Ler o resto da receita >