FAQ

“Polifagia Nervosa”? Diga?

A triste verdade por detrás do nome deste blog é que, uma vez médica, sempre médica, suponho. (Que perseguição, a sério.) Traduzindo por miúdos: “polifagia nervosa” é uma brincadeira — espero que não considerada de mau gosto — com “anorexia nervosa”, o hoje muito popularizado distúrbio alimentar no qual, pela associação entre a distorção da auto-imagem corporal e o desejo obsessivo de emagrecer, se verifica uma abstinência neurótica da ingestão de comida. Em Medicina, “anorexia”, por si só, significa simplesmente diminuição do apetite, enquanto “polifagia” é algo como o seu oposto. “Polifagia nervosa” seria, então, a ingestão neurótica, obsessiva e compulsiva de comida.

Chávena? Colher de sopa? Colher de chá? O que são estas medidas?

Apesar de eu tentar colocar todos os ingredientes em gramas, é possível que, muito raramente, encontrem referências a “chávenas” em algumas receitas; já das colheres de sopa e chá faço uso constante, pelo que é melhor esclarecer todos os conceitos.

Antes de mais, “chávena” e “colheres” são medidas de volume, não de peso: portanto, uma chávena de farinha, por exemplo, pesa menos do que uma de açúcar, já que a farinha é um ingrediente de menor densidade do que o açúcar. Na verdade, mesmo dentro do mesmo ingrediente, marcas diferentes apresentam frequentemente densidades diferentes, e, portanto, a um dado volume corresponde, de marca para marca, um peso diferente. É por isso que não apresentarei aqui uma tabela de conversão de volumes de ingredientes em pesos: tenho uma para uso pessoal, que obtive através de medições que eu própria fiz com as marcas que uso sempre, mas que, precisamente por não ser universal, só serviria para confundir.

Com isto dito, uma colher de sopa é igual em todo o mundo, e corresponde a 15mL — ou a 3 colheres de chá, que são 5mL cada. Já a chávena é a medida padrão norte-americana, tendo-se difundido já há muito tempo para estas bandas, e corresponde a 16 colheres de sopa, ou seja, 240mL (algumas fontes e marcas de acessórios arredondam para 250mL, o que também não faz grande diferença).

O que consideras “saudável“?

A definição é flexível, mas, globalmente, considero saudáveis receitas que 1) não contenham gorduras saturadas na sua constituição, ou contenham muito pouca gordura em geral, e/ou 2) não usem açúcar refinado (branco ou amarelo — ler esta página para alguns esclarecimentos sobre as propriedades dos alimentos!), ou usem muito pouco. Naturalmente, são raras as receitas que cumprem ambos os critérios, e, no final, acaba por ser uma questão de equilíbrio: se um doce ou prato me parecer ter um peso e rácio aceitáveis de gorduras e açúcares, e for globalmente equilibrado e pouco “agressivo”, coloco o tag “saudável”.

O que consideras “fácil“?

As receitas marcadas neste blog como “fáceis” são aquelas que levam muito poucos ingredientes, demoram muito pouco tempo a fazer, e/ou não requerem técnicas ou instrumentos especialmente difíceis ou particulares para a sua execução.

És vegetariana/vegan/intolerante ao glúten/paleo/etc.?

Não sou nenhuma dessas coisas, nem tenho quaisquer restrições na minha alimentação, a não ser as que os meus gostos me impõem. Por causa disso, e porque este é um blog amador/”hobbyista” em que trabalho quase de mim para mim, não encontrarão aqui receitas propositadamente adaptadas a esse tipo de dietas. Pode acontecer, claro, publicar uma receita que cumpra os critérios para alguma(s) dela(s), mas não é algo em que repare ou por que me esforce. De qualquer maneira, a maioria das receitas permite substituições que as adaptem aos gostos e necessidades de todos, pelo que, espero eu, poderão ser úteis na mesma!

Onde fazes as tuas compras?
Anúncios