Fudge rápido de manteiga de amendoim

Como já estou farta de dizer, a minha relação com a manteiga de amendoim resume-se a eu não tolerar a existência dela perto de mim mas fora do meu corpo. Isto significa que, quando uma vontade súbita de a comer me surge e transformo um saco de amendoins em mais um frasco dela, as opções subsequentes se reduzem a 1) arranjar uma receita que a gaste, e cujo produto possa ser partilhado com outras pessoas, e 2) cair na obesidade. Tendo a preferir a primeira: e, desta vez, foi o para-mim-recém-descoberto Pinterest (sim, leitores, só agora) que me ajudou nessa empreitada. Esta proposta do Spoon University saltou-me à vista pela promessa de facilidade, e por parecer absolutamente pecaminosa. A verdadeira extensão da facilidade só compreendi mais tarde, quando fui ler sobre fudge e percebi que é capaz de ser uma coisa um bocado complexa e chata de fazer — de facto, em comparação, esta versão fica pronta nuns ridículos cinco minutos, mais uma passagem breve pelo congelador. A pecaminosidade, essa, confirmei à primeira prova. Ao primeiro grama desta maravilha absurda que tocou as minhas papilas. Ao primeiro segundo.

Porque este fudge é mesmo delicioso. É ó-meu-deus-o-que-é-isto delicioso. É só-vou-comer-disto-até-morrer delicioso. Também é muito versátil: podem substituir o xarope de ácer por mel (embora, francamente, com a actual disseminação do xarope de ácer nos hipermercados do costume, recomende muito que tentem usá-lo!), e podem fazer pedaços mais altos/cúbicos (a única consequência é que serão menos). Além disso, a receita original pede óleo de coco, que é coisa que eu não tenho e passo bem sem ter, porque não é tão saudável como se pensa: a minha substituição dele por margarina pode ter resultado em fudge mais mole, mas confesso que não saberia, dado que não comparei — fica a sugestão para vocês, se estiverem curiosos. Honestamente, por mim, a receita fica mesmo assim, como a fiz e como podem ver abaixo: porque, como tenho estado a dar a entender, é foste-mesmo-tu-que-fizeste?, completamente, orgasmicamente deliciosa. E não sou só eu que o digo: nesta, os meus amigos fazem mesmo coro comigo.

FICHA TÉCNICA

  • Tempo: 5-10 min (preparação) + 1 hora (congelador).
  • Dificuldade: Muito baixa.
  • Porções: 24 pedaços.
  • Calorias (total): 1795 kcal.
  • Calorias (1 pedaço): 75 kcal.

Ler o resto da receita >

Blondies saudáveis de grão de bico e manteiga de amendoim

Pensaram que tinha morrido? Somos dois/duas (ou mil: não sei como têm andado as visitas ao site desde que desapareci). Mas, como sempre suspeitara, sou, na verdade, um vampiro, pelo que a mortalidade é algo que não me assiste.

Se se perguntaram sobre o motivo da minha ausência, como eu egocentricamente gosto de acreditar, eles são vários. O primeiro é que o Polifagia se estava a tornar numa obrigação, e isso é como estudar algo de que se gosta: estraga tudo. Muito associada a esta razão está a de o meu trabalho neste site se ter tornado gradualmente numa actividade obsessivo-compulsiva e perfeccionista, tal como, de maneira totalmente interligada, a de cozinhar — o balão da sanidade encheu até estourar, e, neste momento, confesso que já não cozinho há muitas, muitas semanas, salvo raras excepções: têm sido meses de muita sopa, iogurte, aveia, frutos secos, canela, linhaça e goji, assim como das refeições preparadas pelo meu colega de casa. Isto — saturar uma obsessão (e encontrar outra) — é algo que me acontece com relativa frequência, pelo que não me surpreendeu. Não ajudaram os factos de andar cansada, de terem surgido vários problemas na minha vida, e de ter perdido todos os ficheiros do meu computador pela altura do Natal: mas estas, como todos sabemos, são justificações apenas parciais, como atestado pela minha mera presença aqui hoje, apesar delas.

Estou sozinha em casa e está um dia feio. É Carnaval, o que não me diz nada — a não ser, claro (obrigada, António Costa!), que não trabalho. Acordo com uma vontade incontrolável de comer a massa de uns blondies de grão de bico e manteiga de amendoim que já fiz várias vezes, mas não desde há muito tempo. Obviamente, visto a primeira coisa que está à mão (ugh, sair de casa; ugh, viver!), vou ao Continente mais próximo e compro as coisas que me faltam. Pouco mais de meia hora depois, está feito.

E é delicioso? É. Valeu a pena — apesar de cozinhar, hoje em dia, me surgir mais como um frete do que há uns meses? Meu deus, sim. Esta receita é tão maravilhosa que dou sempre por mim a reservar parte da massa — uma boa parte da massa — para comer crua. Não que o produto final não seja igualmente fantástico: é, e o chocolate culinário partido grosseiramente dá-lhe um toque irresistível. Sem farinha, açúcar refinado ou gorduras processadas, e com apenas 95 calorias por fatia, espero que o meu mimo para mim própria vos conquiste tanto como a mim.

Créditos para o maravilhoso Ambitious Kitchen pela receita na qual me baseio.

FICHA TÉCNICA

  • Tempo: 20 min (preparação) + 20 min (forno).
  • Dificuldade: Baixa.
  • Porções: 16 blondies.
  • Calorias (total): 1526 kcal.
  • Calorias (1 blondie): 95 kcal.

Ler o resto da receita >

Brownies saudáveis de feijão preto e chocolate

Este sábado foi o casamento da minha querida Sónia, uma amiga que conheci durante o chamado “internato do ano comum”. Também foi o casamento do Tiago, mas, sociedade machista!: os casamentos são sempre muito mais das mulheres, não é? Tsk, tsk. De qualquer maneira, claro que eu e o Sandro fomos, e nos divertimos milhões. Aqui vão alguns registos do período sensato pré-abuso-do-bar-aberto:

Fotografias de telemóvel têm sempre a melhor qualidade.

Por mais divertida que a festa tenha sido — e foi mesmo: todas as doze horas seguidas dela! —, e boa para reatar contactos entretanto interrompidos pelo ritmo da vida, tenho de confessar que senti saudades da minha própria comida. A verdade é que, em termos gastronómicos, a quinta em causa não é um lugar onde eu própria gostasse de casar; à excepção do buffet de sobremesas, que era bastante decente mas que já quase não soube a nada, porque álcool, álcool, álcool, os sabores do dia e da noite não estiveram, de todo, à altura da awesomeness dos meus amigos, e por várias vezes me fizeram sonhar com as batatas-doces que tinha em casa. Por causa disso, quando, no dia seguinte, acordámos com uma ressaca surpreendentemente ligeira (percebem porque insisto na qualidade do álcool?), decidi que iria, definitivamente, experimentar esta receita alegadamente famosíssima do blog Chocolate Covered Katie: cujo livro, já agora, também está encomendado. E que fantástica, fantástica decisão essa foi. Obrigada, Luísa, por seres tão genial.

Brownies, na minha opinião, são um tipo divino de bolo. A textura suculenta e os sabores ricos que os caracterizam fazem as delícias de qualquer guloso, e confesso que lhes sou muito parcial. E estes brownies, meus amigos, são, definitivamente, uma das melhores receitas doces que já fiz. Na vida. (O Sandro concorda.) Tudo acerca deles é inacreditável: os ingredientes que levam (ou que não levam: afinal de contas, são zero açúcares refinados, zero gorduras “más”, zero farinha!), a facilidade de os fazer, o tempo que se aguentam absurdamente deliciosos. Bom, esta última parte é um pouco inventada, dado que eu e o Sandro terminámos o tabuleiro em menos de 24 horas. É verdade, no entanto, que hoje comi dois depois de umas horas no frigorífico, e, simplesmente, não consigo decidir se são melhores quentes ou frios. Com estes brownies, todas as opções são difíceis.

A opção, por exemplo, de parar de os fazer. É que, apesar da textura e sabor pecaminosos, estas coisas têm apenas 132 calorias por unidade. Cheira-me (no pun intended) que esta vai ser uma das receitas mais feitas nesta casa. Que poderei, até, ser processada pelo forno por abuso. Não sei. Desconfio. É só um palpite.

FICHA TÉCNICA

  • Tempo: 20 min (preparação) + 18 min (forno).
  • Dificuldade: Baixa.
  • Porções: 12 brownies.
  • Calorias (total): 1590 kcal.
  • Calorias (1 brownie): 132 kcal.

Ler o resto da receita >

Quadrados saudáveis de aveia, banana e manteiga de amendoim

Se pudesse casar com um ingrediente, ele seria, provavelmente, a manteiga de amendoim. Com pedaços, claro. Isto pode não ser óbvio, pelo conteúdo dos meus posts até agora — mas, na verdade, se não faço mais receitas com manteiga de amendoim, é mesmo porque evito comprá-la, já que, nas minhas mãos, um boião inteiro não sobrevive mais do que uns míseros dias: e, como todos sabemos, as tentativas de ser “saudável” (erm) ressentem-se destas coisas.

Com isto dito, a manteiga de amendoim, também conhecida por Creme Divino dos Céus, não tem, necessariamente, de ser pouco saudável — na verdade, consumida em moderação, e pelo seu conteúdo rico em proteína, pobre em gorduras saturadas e nulo em colesterol, é um alimento infinitamente preferível à manteiga tradicional, e até à margarina. Resumindo: se abusarmos dela, certamente não iremos para magros, mas há muitas coisas nos hábitos alimentares portugueses que nos matariam bem mais depressa de ataque cardíaco.

O que, contas feitas (quanta inspiração, António Costa), me parece bem.

É por tudo isto que, apesar de estas barrinhas (adaptadas de uma receita do meu actual blog culinário preferido, Sally’s Baking Addiction) conterem manteiga de amendoim, as considero e tratarei como saudáveis: afinal de contas, não possuem qualquer outra gordura na sua constituição, o (pouco) açúcar utilizado é amarelo, e a sua base é a aveia, um outro alimento com que facilmente constituiria família. As pepitas de chocolate negro são opcionais — mas, na minha opinião, fornecem um toque precioso, a custo baixo para a saúde.

Resultado final: um snack de pequeno-almoço ou lanche pobre em calorias (dois quadrados têm entre 140 e 160 kcal, dependendo da adição ou não do chocolate) — e absurdamente, ridiculamente, estupidamente e outros-advérbios-de-modo-mente delicioso! Não, a sério: eu acho que nunca mais vou comer outra coisa a meio da manhã. Ou da tarde. Ou ao chegar a casa. Ou ao dormir.

Ah, e mencionei que demoram sensivelmente dois segundos e meio a preparar? Com esta, nem preciso de pensar: vai direitinha para a lista de receitas preferidas.

FICHA TÉCNICA

  • Tempo: 15 min (preparação) + 20 min (forno).
  • Dificuldade: Muito baixa.
  • Porções: ~24 quadrados de 5×5 cm.
  • Calorias (total): 1975 kcal (com chocolate); 1720 kcal (sem chocolate).
  • Calorias (1 quadrado): 82 kcal (com chocolate); 72 kcal (sem chocolate).

Ler o resto da receita >

Brownies rápidos de Nutella

Ontem, durante um raro momento mais parado no trabalho, deparei-me com o aspecto absolutamente delicioso da receita de muffins de banana, aveia e Nutella do Flor do Brownie. Ao final da tarde, decidi ir comprar os ingredientes que me faltavam, o que incluía a própria Nutella. (In)felizmente, o Continente ao pé de minha casa não tinha embalagens pequenas, o que, no final da receita, me deixou com algumas centenas de gramas excedentários do pecaminoso ingrediente. A verdade é que os muffins ficarão para outras núpcias cibernéticas, e que a receita que roubou a noite acabou por ser a que hoje aqui trago, que apliquei apenas para evitar acabar por comer a Nutella toda à colher numa só noite aproveitar o resto da Nutella, e que é também a prova de que não, nunca compramos-Nutella-só-para-uma-coisinha-e-depois-prometo-que-não-lhe-toco-mais.

Esta receita é adaptada da dos 4 Ingredient Chewy Nutella Cookies encontrada no blog Kirbie’s Cravings, uma fonte inesgotável de formas de usar Nutella (e morrer cedo), e é quase uma vergonha o quão fácil é de fazer. (Não, a sério: uma vergonha.)

FICHA TÉCNICA

  • Tempo: 5-10 min (preparação) + 10 min (forno).
  • Dificuldade: Muito baixa.
  • Porções: ~20-24 pedaços de 5×5 cm.
  • Calorias (total): 1350 kcal.
  • Calorias (1 pedaço): 56-68 kcal.

Ler o resto da receita >