Trufas saudáveis de cacau

Há receitas que terminamos e precisamos de ir logo partilhar, porque nem sabemos como raio é que algo tão divinal, tão bonito que parece comprado, saiu das nossas mãos (neste caso, das nossas pobres, pobres, sujas e pegajosas mãos). Esta, bendita seja, é uma dessas receitas: ou não fossem duas da manhã, e eu aqui.

Gosto muito de trufas. São requintadas, clássicas, têm estilo, causam uma explosão de sabor incomparável nas papilas, e facilmente servem como presente de bom gosto (no pun intended) para todas as pessoas e ocasiões. Na minha curta vida, já provei vários tipos de trufas, das mais baratas do supermercado da esquina a especialidades gourmet da Godiva que, pelo preço, têm certamente sangue de unicórnio como ingrediente secreto. A conclusão a que cheguei é que… gosto de todas. Na verdade, parece-me impossível um qualquer amante de chocolate não ser, em geral e com pouco critério, apaixonado por trufas: afinal de contas, elas são uma das formas mais densas e intensas de apresentação desse sabor.

Com isto dito, nunca pensei que, um dia, me veria a fazer trufas: nunca me teria presumido poderosa a esse ponto. Foi então — na verdade, ontem — que me cruzei com esta receita do Alecrim aos Molhos: o blog, também todo ele de muito bom gosto, da Cátia, uma leiriense de múltiplos talentos. Ao que parece, esta menina aposta na saúde, na originalidade e na qualidade acima da quantidade: princípios em que me revejo completamente, e que me têm levado à sua página diariamente. (Ah, e também tem serviços de catering e entregas ao domicílio: portanto, leitores de Leiria, agarrem nesses telefones/e-mails! Eu, se vivesse na zona, já o teria feito.)

A receita era tão atractiva, e parecia tão fácil, que não resisti a experimentar. Se foi realmente fácil? Não o suficiente para colocar esse tag neste post, mas sim, foi: embora eu, cozinheira mais do que amadora, tivesse ficado agradecida por uma dica que, de tão básica e essencial (e apesar de, para mim, já vir tarde), me vejo forçada a sublinhar — depois de fazerem a massa, e antes de a moldarem nas trufas propriamente ditas, arrefeçam-na durante umas horas no frigorífico. Talvez, dessa maneira, evitem ficar com metade colada aos dedos. Como me aconteceu.

Mas adiante.

À excepção desse pequeno percalço, correu tudo inesperadamente bem: e, creio, a fotografia inacreditável abaixo fala por isso. Não tenho processador de alimentos, pelo que utilizei uma trituradora vulgar e adaptei a receita, mas não consigo imaginar que o resultado pudesse ter sido melhor de outra forma. É que estas maravilhas — que, por mais voltas que dê às contas, não consigo fazer ter as “menos de 30 calorias” de que a Cátia fala: estas minhas meninas, já polvilhadas, rondam as (muito razoáveis!) 50 kcal cada —, estas maravilhas, dizia eu, e vou roubar uma expressão do Sandro, sabem a pecado. Sem qualquer tipo de gordura ou açúcar refinado, esperava, francamente, que o sabor se ressentisse; no entanto, a minha tão amada explosão papilar de cacau está toda lá: e, como que por magia, a textura densa e aveludada, o outro grande estandarte das trufas, também.

FICHA TÉCNICA

  • Tempo: 30 min (preparação) + 2 horas (frigorífico).
  • Dificuldade: Média-baixa.
  • Porções: 20 trufas.
  • Calorias (total): 960 kcal (por polvilhar).
  • Calorias (1 trufa): 48 kcal (por polvilhar).

INGREDIENTES

  • 8 tâmaras;
  • 100g de miolo de amêndoa;
  • 25g de cacau magro em pó;
  • 3 colheres de sopa de água;
  • 1 colher de sopa de mel;
  • Ingrediente a gosto para polvilhar (eu usei chocolate em pó e coco ralado).

PREPARAÇÃO

  1. Descaroçar as tâmaras, passar por água para que não fiquem tão secas ou pegajosas, cortar em pequenos pedaços e reservar.
  2. Numa trituradora, colocar o miolo de amêndoa com o cacau e desfazer até obter uma espécie de areia fina. Aos poucos, ir acrescentando os pedaços de tâmara, triturando muito bem entre cada adição. Parar apenas quando se tiver obtido uma mistura uniforme, sem pedaços identificáveis de amêndoa ou tâmara.
  3. Passar a mistura para um recipiente, acrescentar a água e o mel e envolver tudo com uma colher de pau, até ficar uma massa homogénea. Se, no final, a massa estiver muito pegajosa e difícil de manusear, colocar no frigorífico durante duas ou mais horas antes de moldar.
  4. Cobrir o fundo de um pequeno recipiente com o ingrediente escolhido para polvilhar. Fazer bolinhas de massa com as mãos e passá-las pela cobertura até obter o efeito pretendido.
  5. Antes de servir, colocar as trufas no frigorífico durante pelo menos duas horas, para que endureçam.

Agora que me meti nisto, acho que o meu conceito de presentes de Natal — e, por consequência, o da minha família e amigos — vai sofrer uma grande reviravolta. Se algum dia conseguir não comer logo todas as trufas sozinha, that is. Desta vez… digamos apenas que não estou muito optimista.

Anúncios

3 thoughts on “Trufas saudáveis de cacau

  1. Ai ai ai, que surpresa boa!!! Ainda bem que gostaste das trufas e que gostas do blog! Muitos beijinhos e felicidades!

    Notinha: E olha que as minhas contas foram feitas com a introdução dos ingredientes, milimetricamente, no programa Myfitnesspal dão 27 calorias cada.

    Gostar

    1. Cátia, Cátia! Que surpresa boa para mim também. :D Muito obrigada pelo comentário! É verdade, sim; adoro o blog, e só não casei com as trufas porque não é legal. :p Fico a dever-te a experiência!

      (Acredito em ti! Pode ser mesmo dos ingredientes, talvez… ou das marcas? Também não importa, é uma diferença irrelevante. O que importa é que são as melhores trufas de sempre!)

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s